quarta-feira, 22 de junho de 2011

Você cansou-me e dilacerou-me.



Você me machucou demais. Me cansou, dilacerou-me a alma com o mais profundo ódio humano. E eu, em meio a fraqueza sentimental cedi e atirei-me no fundo do mais profundo poço, atirei-me sem perceber que no fundo dele tinham apenas pedras pontiagudas onde despedacei meu coração e junto com ele minha esperança que já andava pequena. Mas mesmo despedaçado, meu coração ainda pulsava e meus sentimentos ainda existiam. Minha alma fúnebre precisava da sua ajuda, mas você me vendeu para se salvar. Entretanto, antes da venda cuspiu ódio e pena em meu corpo que instantaneamente pegou fogo e virou pó em meio a tanto sentimento ruim. E mesmo após a morte, minha alma permanece viva e meu pó(corpo) permanece e permanecerá intacto até a sua morte. Pois minha morte nunca foi esquecida por você, que sente minha ausência desde o primeiro dia em que parti.

3 opiniões compartilhadas:

Marcelo R. Rezende disse...

Fo-da!

Mensagem Efêmera disse...

Sempre somes e me dilaceras também, poxa. ;/
Saudades já :D

graciélelongo. disse...

tudo lindo aqui, amei. seguindo. se quiser seguir de volta http://diaryofagirl97.blogspot.com/ .

Postar um comentário

Pode deixar sua opinião, ela me deixará muito feliz! ☺